A história do Tchoukball

O tchoukball nasceu dos pensamentos do Dr. Hermann Brandt durante os anos 1960. No decorrer de seu trabalho, este médico de Genebra se deparou com um grande número de atletas que se lesionavam durante a prática esportiva. Ele percebeu, entre outras coisas, que esses traumas se deviam aos movimentos que não eram adaptados à fisiologia humana ou as várias formas de agressividade encontradas em certos esportes. Esta realidade diária aumentou suas preocupações a respeito do valor educativo dos esportes modernos. Portanto, temendo os abusos dos esportes, o Dr. Brandt decidiu criar, por meio do tchoukball, um esporte que permitisse que o indivíduo adquirisse e mantivesse um duradouro equilíbrio físico, mental e social. Destacando-se por sua abordagem puramente educativa, o tchoukball procura tornar possível o sonho do Dr. Brandt, ou seja, que o esporte deva "contribuir para a construção de uma sociedade humana digna".

Tchoukball, um esporte que permite ao indivíduo melhorar o nível físico assim como os níveis psicológicos e sociais.

As regras do tchoukball contam com resultados de estudos da fisiologia, da psicologia e da sociologia para obter um jogo definitivamente construtivo. Portanto, como todo ato de perturbação ou obstrução de jogo é proibido, o jogador de tchoukball – no ataque ou defesa – pode desenvolver quase todos os movimentos possíveis sem temer ser impedido intencionalmente ou involuntariamente pelo adversário. Além disso, apenas o sucesso de combinações táticas e movimentos técnicos permite vencer o jogo. Comportamentos anti-desportivos são proibidos.

Contudo, o tchoukball possui características que o faz ideal para todos os níveis de disciplina (esporte competitivo, esporte para todos e esporte educacional).

Com relação às habilidades físicas, o tchoukball permite:

1. Desenvolver a destreza individual dos jogadores, dando a estes a oportunidade de praticar movimentos de arremesso e recepção em condições favoráveis, já que as regras excluem o tempo todo intervenções diretas do adversário. Portanto, todos podem desenvolver esses movimentos básicos e apresentá-los sem obstáculos e de acordo com suas capacidades.

2. Melhorar a percepção espacial e senso de orientação enquanto o jogador que busca marcar o ponto, na verdade mira em uma parte da quadra que está atrás dele e podendo marcar em um ou outro quadro.

3. Trabalhar o corpo, assim como outros esportes, e melhorar as funções cárdio-vasculares e neuromusculares. Se bem praticado, o tchoukball se torna um esporte realmente intenso e dinâmico.

Psicologicamente e socialmente, o tchoukball permite:

1. Desenvolver o espírito de tomadas de decisão de todo atleta e reforçar as responsabilidades individuais. Quando um jogador pega a bola, somente ele pode decidir o que fazer, seja um passe ou um arremesso, e assim precisa aceitar seus eventuais erros. Após um arremesso falho, ele dará um ponto a outra equipe, e após um erro de passe a bola irá para a equipe adversária. Assim, todo jogador precisa dar seu melhor em todas as situações

2. Apresentar um comportamento tático dentro de um contexto de relações sociais que favoreça o respeito pelo adversário. Além disso, o jogador não pode marcar um ponto em uma ação individual (obrigação do passe!)

Entretanto, algumas vezes as regras do tchoukball podem ser adaptadas e simplificadas para o ensino do jogo aos iniciantes. Nota-se, contudo, que toda alteração deve conservar o espírito e valor pedagógico do tchoukball. É imperativo, logo, que se mantenha, em primeiro lugar, a proibição de atrapalhar o jogo da equipe adversária e, em segundo lugar, as regras de pontuação.

Hermann Brandt e os primeiros passos do tchoukball.

Dr. Hermann Brandt nasceu em 6 de outubro de 1897, em La Chaux-de-Fonds (Neuchâtel, Suíça).

A partir de 1924, ele se interessou por ginástica medicinal, em reeducação física, no controle médico e no papel do esporte na sociedade.

Em:

  • 1928 promove o esporte universitário na Suíça;
  • 1929 fez parte do desenvolvimento do basquete e foi o principal apoiador da introdução do basquete feminino na Suíça;
  • 1932 criou o primeiro centro para Medicina Esportiva na Suíça. Este centro, administrado por ele até os 65 anos, foi anexado à Universidade de Clínica Médica de Genebra. Também nesta época ele se envolveu com o voleibol e o introduziu na Suíça;
  • 1951 cria o Geneva Volleyball Club e, em 1958, o Sport Handicap. O ano de 1958 é também o ano de criação da Federação Suíça de Voleibol;
  • 1954. a mídia da época o elege o “pai do voleibol suíço”. Desde 1932 ele está envolvido com o voleibol;
  • 1960 o Dr. Brandt recebe a medalha de ouro dos Esportes Franceses e da Juventude e é nomeado com mérito o “representante dos esportes”.

Desde 1966, a ideia do tchoukball floresce em sua mente. Em 1967, é publicado um primeiro livro, intitulado “Da educação física ao esporte, pela biologia”, no qual ele descreve as bases cientificas do tchoukball.

Em 1968, ele organiza demonstrações e conferências sobre tchoukball e em 1969, com a ajuda de Michael Favre, escreve o primeiro livro sobre tchoukball: “Estudo crítico científico sobre esporte coletivos”, que foi publicado em 1971.

Em 1970, Dr. Brandt apresenta sua pesquisa sobre treinamento, educação física e a concepção de um novo esporte, o tchoukball, no IFPE (Federação Internacional de Educação Física) e recebe o prêmio Thullin, destinado ao melhor trabalho original sobre as teorias da educação física, em um ponto de vista físico, educacional e social.

Em 1971, a Federação Internacional de Tchoukball, assim como as duas primeiras federações nacionais (Suíça e França), é criada. A partir de 1972, John Andrews (que foi presidente da IFPE e depois se tornou presidente da Federação Internacional de Tchoukball) começa a difundir o esporte pelo mundo. No mesmo ano, a Federação Inglesa de Tchoukball é criada.

Depois de um longo período doente, Dr. Brandt falece em Genebra no dia 15 de novembro de 1972.

Desde então, Michael Favre (Suíça) e John Andrews (Grã Bretanha) assumiram a liderança e fizeram a Suíça e o resto do mundo (Taiwan, Brasil, Argentina, Paquistão e Índia, por exemplo) descobrirem o tchoukball. Em 1977, Ray-Ming Fuang, um professor de educação física de Taiwan, se apaixonou pelo tchoukball e iniciou o desenvolvimento do esporte em Taiwan e, posteriormente, na Ásia. Não seremos capazes de citar todas as pessoas que permitem atualmente que o tchoukball continue a crescer pelo mundo, mas percebemos que a transmissão das ideias do Dr. Brandt sempre estarão vinculadas ao entusiasmo e conhecimento das pessoas que são convencidas pela filosofia do tchoukball. Nesse sentido, todo instrutor J+S é um embaixador do tchoukball.