Tchoukball no Brasil

No Brasil, o Tchoukball teve dois momentos de implantação. O primeiro foi em 1987 por Sir John Andrews (in memoriam), então presidente da FIEP (Federação Internacional de Educação Física) que realizou apresentações e cursos durante congressos em Florianópolis (SC), Foz do Iguaçú (PR) e Tramandaí (RS). Um dos participantes destes cursos, o professor Nelson Schavalla, seguiu regionalmente no sul do país realizando atividades e divulgando a nova modalidade.

O outro momento, entre 1991 e 1992, foi por Océlio Antônio Ferreira, um sergipano que se encontrava na Europa a estudo, conheceu o Tchoukball. Logo foi convidado pelo professor Michel Favre (então Presidente da Federação Suíça de Tchoukball) e se submeteu ao rígido treinamento técnico e tático vindo a jogar neste período pelo Lausanne Tchoukball Club. Participou de inúmeros torneios nacionais e internacionais, vindo a diplomar-se técnico e árbitro internacional, ministrando cursos e oficinas na Suíça.

No final de 1992, o Sr. Océlio retornou ao Brasil e junto com o Sr. Julio Calegari (atual Diretor de Promoção Internacional da FITB – Federação Internacional de Tchoukball) começaram a divulgar o Tchoukball em São Paulo. Foram ministrados vários cursos e apresentações principalmente em escolas particulares, universidades e unidades do SESC. Formou-se a primeira equipe de monitores para da modalidade em algumas cidades do país, e em 1993, foi realizado o 1º Torneio Paulista de Tchoukball de Praia em Itanhaém, no litoral paulista. Posteriormente no mesmo ano, no dia 4 de julho, realizou-se o 1º Torneio Paulista em quadra (Ginásio Pelezão) patrocinado pela Secretaria de Esporte e Lazer do Estado de São Paulo, tendo o Liceu de Artes e Ofícios como campeão deste evento com seis equipes participantes.

Em setembro de 1999, Océlio, Schavalla e Julio uniram forças para organizar a ABTB (Associação Brasileira de Tchoukball). Esta associação, mesmo não tendo sido, até 2008, oficialmente registrada é reconhecida e afiliada à FITB desde 2000.

O Sr. Océlio, também levou o Tchoukball para Curitiba (PR) e Aracaju (SE), onde em 2000 foi o fundador da ASSERTCHOUK (Associação Sergipana de Tchoukball – primeira a nível estadual no país).

A partir da filiação na FITB, o Brasil passou a participar de eventos internacionais. O primeiro foi o World Tchoukball Tournamnet em Genebra, Suiça em agosto de 2000. A Seleção Brasileira terminou em 5º lugar de 6 países participantes.

Daí por diante o Brasil vem mantendo esforços para participar dos eventos internacionais, sempre melhorando suas marcas sejam elas de quantidade de atletas, técnicos, dirigentes e familiares envolvidos como nas conquistas.

Sempre com muita dificuldade financeira, não foi em todas as oportunidades que a Seleção Brasileira pode representar o país nos torneios internacionais, mas nem por isso deixamos de ser representados, em maio de 2003 alguns atletas brasileiros uniram-se a suíços e ingleses formando a equipe “Os Caiçaras” para disputar o Torneio Internacional de Beach Tchoukball em Rimini, Itália, em maio de 2005 a Seleção Paulista e a Seleção Paranaense representaram o Brasil no World Beach Tchoukball Tournament em Genebra, Suiça, terminando em 7º e 8º lugar respectivamente dentre 12 equipes e em maio de 2007 neste mesmo torneio o Brasil foi representado pela equipe Esperanto Tchoukball Clube, a primeira equipe brasileira.

Dentre essas marcas ressalta-se:

  • A participação do selecionado de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná no Torneio Sulamericano de Tchoukball em Concórdia, Argentina em outubro de 2006, com a seguinte classificação: Torneio masculino, Paraná em 1º lugar, São Paulo em 2º Lugar  Rio de Janeiro em 4º lugar e no torneio feminino, Paraná em 1º lugar e Rio de Janeiro em 5º lugar.
  • A primeira participação juvenil em um campeonato internacional, o Brasil foi representado por uma delegação de 70 pessoas no World Youth Tchoukball Championship de 2011 em Traiskirchen, Áustria, neste mesmo evento, destaca-se o primeiro jogo feminino em terras estrangeiras.

Todas as participações da Seleção Brasileira em eventos internacionais podem ser conferidas neste site na opção “Seleção”.

É missão da ABTB, representante oficial do Tchoukball brasileiro, buscar sempre uma posição de destaque no Tchoukball internacional sejam nas conquistas, mas principalmente na defesa dos preceitos do Dr. Hermann Brandt.